PROJETO CABAZ MAMÃ REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO CONGO

O PROJETO CABAZ MAMÃ, para o qual HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL quer contribuir este ano, já funciona há algum tempo, e tem trazido benefícios impressionantes às mulheres congolesas com maiores carências.

A Sra. Kalengela tem 41 anos e vende fruta no mercado. É casada com um professor primário e tem sete filhos. Os três filhos mais velhos, com 16, 15 e 13 anos, já saíram de casa dos pais para se fazerem à vida.

A média dos recursos mensais da família é de cerca de 100 euros.

Moram no bairro Herady, uma zona abrangida pelo Centro de Saúde MOLUKA, que é uma filial do Hospital de MONKOLE; é um sector muito isolado, situado numa depressão de terreno entre duas colinas.

Percorrem todos os dias mais de 3km para encontrar água potável.

É à luz de um candeeiro a petróleo que os filhos mais pequenos fazem os trabalhos da escola.

 

A Sra. Kalengela com os dois filhos, que nasceram saudáveis graças ao programa CABAZ MAMÃ

 

Toda a família frequenta o Centro de Saúde MOLUKA.

Numa informação porta a porta, a Sra. Kalengela ficou a conhecer o programa CABAZ MAMÃ, e aderiu imediatamente, embora tivesse dificuldade em pagar os 50 euros que são a participação da mulher neste programa.

Dois dias antes da data prevista para o parto, sofreu uma rutura pré-uterina quando estava em casa. Foi necessário enviar uma ambulância equipada para a conduzir ao hospital e lhe proporcionar todos os cuidados necessários.

Deu à luz gémeos, um rapaz e uma rapariga – Chako e Omba (o nome que se dá aos gémeos na sua tribo) – no dia 3 de fevereiro de 2016.

Após três dias no hospital, onde receberam todos os cuidados pós-natais, mãe e filhos estavam de saúde, para alegria de toda a família, e regressaram a casa no dia 7 de fevereiro.

Anúncios