PROJETOS HARAMBEE 2017

Em 2017, HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL pretende angariar financiamento para dois projetos africanos com enorme impacto na vida das pessoas: fazer baixar a mortalidade materno-infantil na República Democrática do Congo e recuperar crianças da rua no Togo.

 CABAZ MAMÃ

República Democrática do Congo

Entidade promotora:

Centre Congolaise de Culture de Formation et de Développement – CECFOR

Descrição:

Um estudo de 2013/14 situa a taxa de mortalidade infantil no Congo em 28 mortos por 1000 nados vivos e a taxa de mortalidade materna em 846 mortos em 100.000 partos. A despesa anual com saúde no país é de 24 dólares per capita, e as despesas médicas têm de ser pagas antecipadamente, quer nas estruturas públicas, quer nas privadas. Consequentemente, as futuras mamãs veem-se quase sempre obrigadas a confiar o acompanhamento da gestação e o parto a pessoas mal preparadas, em locais totalmente privados de condições higiénicas adequadas.

Atividade:

O projeto do hospital Monkole consiste em acompanhar 400 grávidas por ano, nos seus três dispensários, Eliba, Kimbondo e Moluka, localizados em zonas rurais. Este acompanhamento consiste na oferta de um Cabaz Mamã, no qual estão incluídos análises, ecografias, medicamentos e tratamentos preventivos contra a malária; está igualmente incluído o parto no hospital Monkole, bem como o apoio à criança no primeiro ano de vida, sem esquecer as vacinas.

O valor médio deste Cabaz Mamã é de 400,00 euros por grávida, dos quais as mulheres têm de pagar 50,00 euros.

Destinatários:

400 grávidas e 400 recém-nascidos.

Contributo de Harambee:

40.000, 00 euros

 

REINSERÇÃO SOCIAL DE CRIANÇAS DE RUA

Togo

 Entidade promotora:

Mouvement d’Action pour la Réinsertion des Enfants Marginalisés-MAREM

Descrição:

O fenómeno dos “rapazes de rua” é uma realidade crescente em Lomé. As causas são as contradições de um ambiente urbano difícil, onde não existem estruturas capazes de tutelar os menores. A isto juntam-se os problemas familiares: conflitos, ausência ou perda da autoridade dos pais, etc. Na zona em que opera a associação MAREM, contam-se 200 novos casos por ano de crianças entre os 8 e os 17 anos que fogem de casa; e continua a aumentar significativamente o fenómeno das crianças com menos de 10 anos.

Atividades:

MAREM WOEZON é o centro de acolhimento e identificação das crianças, cujas origens geográficas, étnicas e sociais são muito diversas. Uma equipa de especialistas analisa a história pessoal de cada um, com o objetivo de favorecer o respetivo processo de integração, quer imediata, quer através do centro residencial MAREM EMERA. Aqui, os rapazes passam uma média de dois anos, ao cuidado de uma equipa de educadores especializados, que se encarregam da sua educação integral e da preparação das famílias para as acolherem no final do percurso de recuperação. Os educadores continuam a acompanhar as crianças na delicada fase da reinserção, na escola ou no mundo do trabalho.

MAREM oferece assistência psicológica às crianças durante todo o período em que residem em EMERA, bem como nos dois anos que se seguem à reinserção, para evitar recaídas, ou seja, a cedência à tentação de voltar para a rua.

Destinatários:

40 crianças para reinserção escolar; 25 jovens para reinserção no mundo do trabalho.

Contributo de Harambee:

18,000 euros

 

AJUDE-NOS A AJUDAR:

https://harambee-portugal.org/como-colaborar/donativos/

Anúncios