CAMPANHA AMIGOS DE HARAMBEE

Quer ser Amigo de Harambee e contribuir com 5 euros por mês para nos ajudar a ajudar as meninas de O VIVEIRO?

Com o seu contributo anual, poderemos pagar dois salários mensais às formadoras juniores deste projeto!

harambee
harambee

Como contribuir:

☼ dê uma ordem de transferência mensal no seu banco, ou através da Internet, para a conta de Harambee: IBAN: PT5000 1000 0047 8615 0000 172  (BPI)

ou

☼ junte o valor mensal no seu mealheiro doméstico e envie-nos o total anual por cheque à ordem de HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL para: Rua José Malhoa, 15 – cv dto. 2780-017 Oeiras

Contribua como puder!

TODOS JUNTOS, TODOS À UMA

Anúncios

cozinha solidária harambee: o começo de uma tradição

O passado dia 7 de maio começou a cimentar aquilo que promete transformar-se numa tradição de HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL: A Cozinha Solidária.

Cozinha Solidária 20161

Foram dez as participantes que, desafiando o mau tempo, se reuniram na Marina de Cascais, na COOKING MEMORIES da Chef Mónica Pereira, com o objetivo de juntar uma tarde bem passada à aprendizagem de novas técnicas e sabores, e à solidariedade com o projeto moçambicano de O VIVEIRO.

Cozinha Solidária 20162

Vencedora do Chef’s Academy 2014, Mónica Pereira – filha de moçambicanos, como salientou – quis juntar-se generosamente a este movimento de solidariedade com África, oferecendo uma aula de culinária no seu espaço, para a qual foi buscar memórias de gostos, sabores e cheiros da infância e da adolescência, combinando-as com a inovação, que é uma marca do seu estilo de cozinha.

Cozinha Solidária 20163

Cozinha Solidária 20164

As participantes neste encontro tiveram a oportunidade de «meter as mãos na massa», confecionando um delicioso frango com especiarias no forno, acompanhado por um surpreendente arroz de coco, e a seguir espetadas de camarão grande e ananás com molho de iogurte grego, ótimas para servir uma entrada aos amigos.

Cozinha Solidária 20166

No final, houve degustação dos produtos, com a promessa de envio das receitas para se fazerem em casa.

Com o produto desta atividade, HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL vai poder financiar um ordenado mensal a um formador sénior e um ordenado mensal a um formador júnior no novo projeto de O VIVEIRO. Valeu a pena!

Harambee na Primeira Liga do campeonato de futebol italiano

A equipa de árbitros da Primeira Liga de Futebol italiano esteve solidária com Harambee, ao entrar em campo, nos diversos jogos, envergando camisolas com o logótipo da associação. Tudo aconteceu na 30ª jornada do campeonato que se realizou no fim de semana de 19 e 20 de Março. Em todas as partidas as respetivas equipas de arbitragem usaram camisolas Harambee, enquanto no publico vários voluntários seguravam faixas apelando ao contributo de todos.

OS PROTAGONISTAS DO PROJETO «O VIVEIRO»

Rosa Chambuera (na fotografia, à direita, trabalhando o vime) será uma das formadoras juniores do projeto que HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL quer financiar em Tete, Moçambique.

Rosa tem 17 anos e, quando foi viver para O VIVEIRO, era uma menina que apenas tinha feito a instrução primária, que falava mal português, a quem tinha sido cortada uma perna devido a uma infeção, e cujas perspetivas de futuro eram extremamente limitadas, para não dizer lúgubres.

N’O VIVEIRO, foi incentivada a prosseguir a sua instrução, aprendeu um ofício, e está agora em condições de ser formadora de outros jovens, a quem pode dar novas perspetivas de vida.

Eis o seu testemunho:

grupo tapeçaria

“O meu sonho é continuar a estudar até 12ª e ao mesmo tempo abrir uma loja de tapeçaria em Chitima, perto da casa da minha mãe.
Eu aprendi tapeçaria em 2014 com a sra Jean Mizimbe, formadora do Malawi.
Em 2015 participei numa feira de artesanato no Distrito de Chifunde e cheguei em primeiro lugar. Depois participei numa feira provincial e a seguir numa nacional, em Inhambane.
As pessoas gostaram muito da minha produção e todos os objectos foram vendidos.
Eu gostaria que a minha loja fosse também uma escola para outros jovens, que querem aprender tapeçaria. Eu já posso dar aulas e orientar o trabalho dos outros.
Cada curso de tapeçaria contará com 10 jovens (rapazes e raparigas) da comunidade.
Para desenvolver esta actividade será preciso ter um carpinteiro que possa realizar a estrutura de madeira dos móveis.
O dinheiro que vai entrar pode servir para desenvolver a actividade, não só em Chitima, mas também a nível do Distrito e da Província.
Eu queria também reabilitar a casa da minha mãe e acolher, com o andar do tempo, meninas e meninos necessitados.”

PROJETO HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL 2016-2017: FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM TETE, MOÇAMBIQUE

grupo costura

O VIVEIRO é uma instituição sedeada em Chitima, na província de Tete, Moçambique, que tem como objetivo apoiar e formar jovens órfãs e/ou em situação de grave pobreza, a fim de as tornar profissional e economicamente independentes.

Constituído em 2008, O VIVEIRO conta com um espaço de 5 he, com casas de acolhimento permanente, salas de estudo, e equipamentos destinados à formação profissional. Atualmente, vivem nO VIVEIRO 20 raparigas, com idades entre os 10 e os 18 anos, que frequentam as escolas das proximidades, e que na instituição recebem, para além de alojamento e alimentação, apoio no estudo e formação profissional numa atividade à sua escolha, que poderá vir a ser a sua profissão: costura, tapeçaria, desenho e serigrafia, artesanato (carpintaria, cestaria, acessórios de moda), culinária, agricultura e pecuária.

Destes ateliês de formação profissional, estão a sair os primeiros produtos comerciais, dando início ao processo de transformação de O VIVEIRO, de uma instituição subsidiada, numa instituição capaz de gerar proventos próprios e, futuramente, de se autofinanciar.

Desta formação estão a sair também as primeiras formadoras juniores, raparigas que, contando com o apoio de um formador sénior, podem começar a transmitir o que aprenderam aos jovens das aldeias das redondezas, capacitando-os profissionalmente e ajudando o quebrar o ciclo da miséria e do abandono.

O objectivo é a constituição de quatro ateliês de formação profissional de costura, serigrafia, artesanato e culinária.

Ver mais pormenores em PROJECTOS EM CURSO

grupo cozinha