Arquivo da categoria: Sem categoria

CAMINHAR NA MADEIRA POR HARAMBEE

Um grupo de amigas da Madeira organiza, no próximo dia 6 de outubro, uma caminhada a favor de Harambee.

Se está na Madeira, junte-se ao grupo, passe uma tarde agradável numa das famosas levadas da Ilha, e contribua para financiar o Projeto Kulikuassa.

HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL agradece!

MOCHILAS E MUITO MAIS, POR CABO VERDE

Lembra-se da Mochila Amiga, que correu em paralelo com a campanha de angariação de fundos de HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL?

Pois as promotoras desta iniciativa, que são jovens ambiciosas, não se ficaram por aí, e promoveram uma campanha organizada para recolher material – roupa, calçado, medicamentos, brinquedos, livros, alimentos não perecíveis – e o enviar para o Bairro do Fonton, na Cidade da Praia.

 

O resultado da campanha, que já vai a caminho de Cabo Verde, foram nada menos que 320 mochilas solidárias e mais 2,5 toneladas de donativos de proveniências muito diversas – particulares, empresas, lojas… -, que vão ser um empurrão no começo do próximo ano letivo, e ajudar muito a melhorar a vida das crianças e adultos  aos quais se dirigem.

A equipa conseguiu ainda que o transporte destes materiais para Cabo Verde fosse oferecido.

Tudo com um Sorriso no Rosto!

 

 

CONCLUÍDA A PRIMEIRA TESE DE MESTRADO SOBRE HARAMBEE

Está concluída, e com grande apreciação por parte do júri, a primeira tese académica de sempre sobre Harambee.

Foi na Universidade do Minho, no Departamento de Economia da Escola de Economia e Gestão, e as provas públicas tiveram lugar no passado 16 de julho.

A Maria João Lopes, grande amiga e forte colaboradora de Harambee, foi orientada pela Prof. Doutora Maria Cristina Moreira,   e a sua dissertação, intitulada: “O voluntariado universitário na elaboração de candidaturas de apoio social africano”, do mestrado em Economia Social, valeu  nada menos que 17 valores.

O trabalho científico é um contributo para a valorização do papel do voluntariado intelectual nas respostas sociais africanas. O estudo de caso foi o apoio voluntário de uma equipa de universitárias, Intelectual Bridge, à elaboração do projeto Surisu na Rôstu, que visa a criação de um centro de estudos no bairro do Fonton, em Cabo Verde.

Parabéns, Maria João!

HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL quer continuar a contar com o teu empenho alegre e determinado, para ajudar África a ajudar-se.

PRÉMIO INTERNACIONAL HARAMBEE COMUNICAR ÁFRICA

É jornalista e fez uma reportagem sobre África?

Tem menos de 25 anos e fez ou quer fazer um vídeo de 5 minutos sobre África?

CANDIDATE-SE AO PRÉMIO INTERNACIONAL HARAMBEE COMUNICAR ÁFRICA.

São 5000,00 € para a reportagem e 1500,00 € para o vídeo.

E a oportunidade de dar a conhecer o lado mais luminoso e mais desconhecido do continente verde.

Informação completa: https://harambee-portugal.org/2019/03/08/8-o-premio-internacional-harambee-comunicar-africa/

Veja e divulgue o vídeo: https://drive.google.com/open?id=13nGPJUTamuc5zdalS5TFkLPRQ15OzlgT

NOVOS FRUTOS DO PROJETO DIGNITY MOÇAMBIQUE 2018

Rosa Naissone é uma jovem de 20 anos, já conhecida dos benfeitores de Harambee.

Rosa participou no projeto Dignity Moçambique 2018 como formadora de artesanato, pois é exímia na arte da cestaria, mas também foi formanda em pintura, e até teve oportunidade de fazer um estágio de dois meses na escola Lignarius, de Roma.

Na sequência deste estágio, pôde fazer uma exposição de trabalhos seus em Roma e, com os valores que auferiu nestas atividades, está a reconstruir a casa da sua mãe.

Conheça a Rosa neste filme de 5 minutos:

https://photos.app.goo.gl/kG2BZY4dMz3C9pbN7

O próximo sonho desta jovem artista é inscrever-se na Escola Superior de Artes e Ofícios de Maputo (a capital de Moçambique).

Ajude-nos a ajudar!

MAIS NOTÍCIAS DO PROJETO DIGNITY MOÇAMBIQUE

Lembra-se da Lúcia Hélder José, a criativa que colaborou o Projeto Dignity Moçambique, que HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL apoiou em 2018?

Enquanto espera pela oportunidade de cumprir o seu sonho de abrir um ateliê de costura e artesanato em Tete, e aproveitando as competências que adquiriu durante o projeto, a Lucinha decidiu fazer-se à vida e abrir uma banca de venda no mercado, onde também comercializa as já famosas sandálias com a sua marca.

 

 

 

 

 

 

 

Boas vendas, cara Lúcia!

IV NOITE DE FADOS HARAMBEE

Teve lugar, no passado do dia 27 de abril, a IV Noite de Fados em solidariedade com Harambee, que este ano ocorreu na Associação Cultural, Social e Recreativa Arelhence, a quem HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL agradece reconhecidamente o acolhimento, nas pessoas da Isabel, da Dulce e da Carla.

Com o habitual entusiasmo e a organização do Sr. António Leitão, da Margarida Santos e da Sofia Fonseca, o espetáculo voltou a ser um êxito.

 

A noite de sábado começou com o convívio animado das quase 150 pessoas que encheram a sala,

 

umas estabelecendo novas amizades, outras recuperando conhecimentos antigos.

 

 

O serão prosseguiu com a atuação dos oito fadistas que generosamente ofereceram a sua voz: Cármen Gonçalves, Rogério Vieira, Vítor Marques, São Portugal, Alberto Corga, Ana Catarina – que encheu uma mesa com a família e os amigos – e António Leitão.

 

HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL agradece o seu contributo, e também o dos acompanhantes, José Carlos Marona na guitarra e Alberto Corga na viola.

 

Foram muitos os amigos e benfeitores de HARAMBEE que quiseram dar o seu contributo para este evento, e a quem estamos muito agradecidos. Para além da Obiverde, que cedeu as plantas que ornamentaram a sala, e de Carla Cruz, que forneceu as flores, contámos com o habitual e dinâmico grupo de voluntário, este ano 13, que serviram às mesas e estiveram atentos a todas as necessidades dos presentes.

A porta-voz de HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL, Cátia Guerreiro, deu a conhecer o Projeto Kulikuassa, que é a razão de ser desta noite solidária, e foi ainda sorteada uma peça de Bordallo Pinheiro, que foi entregue a Acília Alexandrino, de Viseu.

A IV Noite de Fados Harambee rendeu 2107,00 €.

HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL agradece muito penhoradamente a todos quantos empenham o seu tempo e o melhor dos seus esforços para continuar a tornar possível a missão de ajudar África a ajudar-se.