VEJA O QUE OS PARTICIPANTES NO PROJETO DIGNITY MOÇAMBIQUE…

… ESTÃO A APRENDER A FAZER.

No ateliê de cozinha

Deliciosas bolachas

No ateliê de costura

Chapéus                                                            Conjuntos de avental e pegas                Saquinhos de compras

 

 

 

 

 

Bolsinhas de toilete                                                                                                Porta-chaves

Tudo produtos comercializáveis a nível local e regional, com vista à criação de micronegócios.

Ajude-nos a ajudar!

Anúncios

CONHEÇA MAIS UMA PARTICIPANTE NO PROJETO DIGNITY MOÇAMBIQUE

 

Imaculada tem 20 anos e é órfã de pai. Foi acolhida no orfanato de Chitima, no distrito de Cahora Bassa, onde concluiu os seus estudos, após o que regressou a casa da mãe, em Mutarara.

Começou a procurar trabalho, mas tem tido dificuldade em o encontrar, pelo que tem recorrido a pequenos trabalhos para conseguir sobreviver.

Teve a sorte de poder integrar-se no Projeto Dignity Moçambique, na província de Tete, e espera no final aplicar as competências aprendidas.

Mas o grande sonho de Imaculada é estudar Medicina, um sonho que poderá realizar se conseguir ter uma atividade profissional estável.

Ajude-nos a realizar o sonho da Imaculada!

CONHEÇA ALGUNS PARTICIPANTES NO PROJETO DIGNITIY MOÇAMBIQUE

«Este projeto em que estou envolvida sabe me dar valor»: foi o comentário da Lúcia Hélder José Modesto, uma rapariga de 18 anos, natural de Tete, que frequenta o 11.º ano e que está  a participar no Projeto Artesanato.

A vida da Lucinha não foi fácil.
Tendo ficado órfã de mãe em pequenina, o pai não quis levá-la consigo.
Lúcia cresceu com os avós, e passou muitas privações e sofrimentos em consequência da pobreza.
Em 2011, foi acolhida no Centro O Viveiro, em Chitima (Tete), onde recebeu uma formaçao geral. Ao sair do Centro, tornou-se membro da Associação Dignity Moçambique, como sócia jovem.
A sua maior ambição era ter «uma vida normal», como ela própria gosta de dizer.
Dotada de enorme criatividade, a Lucinha gosta muito de trabalhar. A par da sua participação no ateliê de costura do PROJETO DIGNITY MOÇAMBIQUE, começou também a produzir sandálias e outros objetos, que comercializa de maneira informal.
O seu grande sonho é abrir um ateliê de costura e artesanato em Tete.

 

 

Ajude-nos a realizar o sonho da Lucinha!

PROJETO DIGNITY MOÇAMBIQUE ARRANCA EM FORÇA

Depois de ter realizado alguns ateliês a título experimental, enquanto aguardava o envio dos fundos de Harambee Internacional, a Associação Dignity Moçambique lançou em grande, no passado dia 26 de junho, o seu projeto de 4 + 3 ateliês de formação profissional para jovens de 15 a 20 anos.

Estão inscritos nestes ateliês um total de 60 jovens, 29 raparigas e 31 rapazes. Este grupo beneficia dos conhecimentos de 12 formadores, 7 seniores e 5 juniores.

 

 

As aulas no ateliê de cozinha estão organizadas por grupos mais pequenos.

 

 

Deste modo, todas as formandas podem participar ativamente, quer na compra dos alimentos no mercado, quer na preparação dos mesmos.

Também aprendem a empratar, ou seja, a maneira melhor de apresentar os pratos realizados.

 

No fim de cada aula, as formandas provam e partilham os pratos que prepararam.

Na próxima fase do projeto, a produção será vendida ao mercado.   Já foi aliás vendida nas comunidades uma pequena produção de bolachas, tendo o valor recebido revertido para a Associação Dignity Moçambique.

Como a maioria dos formandos ainda está na escola, os organizadores dos ateliês tomaram a decisão de dar as aulas alternadamente de manhã e à tarde, para respeitar o horário e os compromissos do percurso escolar.

 

Para além dos quatro ateliês de cozinha, costura, desenho/pintura e carpintaria, que durarão um ano, todos os formandos (bem como os formadores) passarão por três ateliês de formação para o empreendedorismo: informática, marketing e comunicação, e gestão de projetos e empresas.

O ateliê de informática foi dos que suscitou um interesse mais ativo por parte dos formandos. Embora não seja possível dispor de mais do que um computador, todos quiseram, naquele que foi um dos seus primeiros contactos com esta tecnologia, experimentar e perceber como funcionava.

 

Este ateliê é de crucial importância para os formandos, permitindo-lhes dar conhecer os seus trabalhos e ter acesso a mercados para a comercialização dos mesmos.

COZINHA PARA PEQUENAS E GRANDES POR HARAMBEE

Os amigos de Harambee continuam a pôr os seus talentos ao serviço da angariação de fundos para o PROJETO DIGNITY MOÇAMBIQUE.

Ao longo deste ano, em casa da Minda, decorreram, uma vez por mês, duas atividades paralelas com base na culinária.

Uma delas foi um clubinho para meninas, ao fim da tarde, onde aprenderam a fazer maravilhas para sobremesas de festa, seguidas de uma curta palestra de formação.

 

 

Na outra atividade, que foi também um enorme sucesso, um conjunto de amigas aprendia uma receita criativa, usufruía da aprendizagem ao almoço, e completava a refeição com o debate de um tema interessante. Foram discutidos temas variados, como a eutanásia, a situação no Médio Oriente e outros.

Estas duas atividades agradáveis e produtivas renderam, ao longo do ano, 150,00 € para Harambee.

HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL agradece reconhecidamente às promotoras e às participantes o seu contributo.

 

 

CONCERTO 4 VOICES POR HARAMBEE

Teve lugar no passado domingo à tarde, na igreja de Nossa Senhora da Porta do Céu, em Telheiras, um concerto solidário em favor de HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL.

Liliana Silva, contralto, Miguel Éfe, tenor, Ricardo Gouveia-Mendes, barítono, e Liane Sardinha, soprano, encantaram o público com um concerto às Glórias de Maria,

 

 

 

durante o qual percorreram a vida de Nossa Senhora com um conjunto de nove melodias de uma panóplia variada de compositores, terminando com o Ave de Fátima.

A sessão abriu com uma breve explicação das finalidades e do trabalho de HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL, e terminou com a doação, pelos presentes, do seu contributo para o PROJETO DIGNITY MOÇAMBIQUE

HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL agradece reconhecidamente aos 4 Voices

e a todos os amigos que quiseram associar-se e contribuir para o êxito deste evento.

As contribuições somaram 512,10 €, aos quais tiveram de ser retirados 57,20 € para despesas, o que significa que o concerto teve um saldo líquido de 454,90 €.

Estamos mais perto da nossa meta para este ano: 5000,00 €.

 

AS SALADAS DA MINDA POR HARAMBEE

Decorreu a semana passada, no Centro Cultural das Areias, uma animada sessão de culinária de verão intitulada “As saladas da Minda”.

As participantes aprenderam a fazer diversos pratos frescos, a condizer com o tempo que aí vem, e no final provaram os petiscos.

O valor pago por esta atividade reverteu inteiramente para HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL, que muito agradece a iniciativa!